Os dez princípios da dieta mediterrânica em Portugal | Cartaz

       Para comemorar um ano da consagração da Dieta Mediterrânica em Portugal, como património imaterial da humanidade pela Unesco, o PNPAS lança o cartaz “Os dez princípios da dieta mediterrânica em Portugal” que de forma simples e gráfica explica o conceito, permitindo a sua divulgação e melhor compreensão.

Descarregue aqui o Cartaz_Os10principiosdadietamediterranicaemportugal !

5 Comentários , Adicione o seu

  1. Apesar de compreender que o vinho faz parte da dieta mediterrânica, associar esta bebida alcoólica ou qualquer outra à benefícios na saúde é uma atitude muito pouco sensata, que é inclusive recriminada nos anunciantes de bebidas. Ainda por mais sem nenhuma ressalva!
    A DGS, quando promove uma mensagem a população em geral, tinha por obrigação definir pelo menos o que compreende por “consumo baixo a moderado de vinho”, ou seja, segundo as definições adoptadas pela OMS e totalidade de entidades e especialistas da saúde na área dos problemas ligados ao álcool, aquele consumo que proporciona um risco baixo para a saúde é o que nunca pode ultrapassar 2 a 3 copos de 120ml (consoante seja mulher ou homem) por dia, com um intervalo de 2 dias na semana. Todavia mesmo esse consumo não está isento de risco e não é aconselhado a determinadas populações, como pessoas medicadas, gravidas ou menores. Não se pode recomendar ou permitir um consumo (de risco) moderado acima desses valores.
    Beba Agua é uma excelente recomendação, isso sim pode melhorar a saúde!

    Hilson Cunha Filho a 03/12/2014 às 21:56
    • Exmo. Senhor,
      Agradecemos os seus comentários que são da maior pertinência. Sublinhamos que neste cartaz não fazemos recomendações ou criamos normas sobre consumos alimentares ou de bebidas por parte da DGS. Apresentam-se e divulgam-se 10 princípios da Dieta Mediterrânica, em que se explica o conceito original, património cultural segundo a UNESCO e fiéis à publicação original da Comissão Promotora da Dieta Mediterrânica. No caso do vinho, a salvaguarda do seu consumo ser recomendado no texto “às refeições principais e em quantidades baixas a moderadas”, parece-nos suficientemente esclarecedor mas contudo generalista como se faz no original com todos os outros princípios, ver “consumo baixo de carne vermelha”, etc. Contudo, compreendemos que num país de consumo excessivo como é Portugal todas as sugestões dos profissionais de saúde sobre consumo ligados ao álcool devem ser muito cautelosos e agradecemos os seus comentários. A equipa PNPAS.

      Pedro Graça a 03/12/2014 às 23:34
  2. mto importante para a populacao portuguesa a divulgaao da dieta mediterranica

    filipe albuquerque a 06/12/2014 às 00:40
  3. Gostaria que fosse pensado como medida preventiva esta alimentação nas escolas. Uma vez que “é de pequenino que se torce o pepino”. As empresas que concorrem as escolas pelas autarquias ou pelo Ministerio todas deverião passar pelo mesmo criterio de avaliação. e nutricionistas não só servem para ir até as cozinham que orientam verificar a rotina interna da cozinha , este deve ir mais alé! deve verificar a reação das crianças adolescente nas mesas. Porque muitos não gostam do conjunto da comida. Devem dentro das regras de nutricionismo verificar o que estes alunos gostam de comer, para tentar adequar uma alimentação que os alunos passam a gostar dos cheirinhos, da hora do almoço. Porque hoje a maioria das crianças preferem comer lanche das maquinas das escolas e do buffet a comer a comida feita na cozinha. Já é mais do que tarde haver a preoculpação de novas estratégia neste ambito, que sim deve haver muitas… mas que não são exploradas porque dá trabalho!! é de pensar e trabalhar para que os nossos jovens de hoje possam conhecer novos alimentos e como podem ser confeccionados e a benfeitoria que lhes vai trazer para a vida. É preciso mais campanha de conscientização para esta faixa etária da vida.
    atenciosamente

    SHIRLEY a 27/02/2015 às 13:46

Comentar

Adicione o seu comentário: