Alimentação vegetariana em idade escolar

São cada vez mais as famílias portuguesas interessados em adotar padrões alimentares com quantidades elevadas de vegetais ou exclusivamente vegetarianos, por razões de saúde ou de filosofia de vida. Contudo, esta forma de comer, obriga a alguns cuidados nutricionais específicos e a um planeamento rigoroso no dia-a-dia. À semelhança de outros padrões alimentares, o padrão vegetariano, quando bem planeado e acompanhado pode fornecer todas as necessidades nutricionais de crianças e adolescentes.

Contudo, pressentimos uma preocupação recorrente dos nossos leitores, de pais, educadores e dos profissionais de saúde. Que aconselhamento dar às famílias que seguem padrões alimentares vegetarianos e onde vivem crianças e adolescentes que acabam por seguir os mesmos modelos alimentares? Que linhas de orientação recomendar? Que riscos existem? Que alimentos sugerir? As perguntas eram muitas, mas as respostas de qualidade, escritas em português, provenientes de instituições públicas e tendo por base a evidência científica mais recente eram poucas ou nulas.

Surge assim este Manual, que agora se lança e que pode ser descarregado gratuitamente aqui. Os autores são profissionais de saúde das mais diferentes áreas e com um percurso académico e profissional reconhecido. Destina-se a todos os que trabalham no setor da educação e saúde e à população em geral.  Apresenta linhas orientadoras para quem segue ou pretende seguir um padrão alimentar vegetariano, tendo por base o melhor conhecimento científico disponível e utilizando produtos vegetais de origem nacional, sazonais e enquadrados na nossa tradição culinária. Sugere assim que é possível e desejável juntar sabor, tradição e saúde à mesa.

Alimentação Vegetariana em Idade Escolar

 

11 Comentários , Adicione o seu

  1. Adorei o artigo! O material é super interessante e atende as necessidades da atualidade, além de ser escrito de forma objetiva e de fácil linguajar, podendo inclusive, ser repassado a qualquer indivíduo interessado no assunto. A iniciativa está de parabéns!

    Francielle Fontes da Silva a 06/04/2016 às 19:52
  2. Sensacional

    Mayara Ripardo a 06/04/2016 às 20:03
  3. ” boas práticas”

    MariaJ a 07/04/2016 às 10:58
  4. É muito importante que eventos como este surjam com a autenticidade técnica da Direção-Geral da Saúde que, para além da confiança que propiciam aos diversos públicos, permitem validar a possibilidade de não praticar somente a alimentação “convencional/tradicional” bem como desmistificar os múltiplos equívocos que povoam o imaginário ligado à prática da alimentação vegetariana.

    Paulo Pinto a 07/04/2016 às 23:44
  5. Muitos Parabéns!
    Esperemos que esta mensagem contribua de verdade para melhorar a alimentação dos portugueses, em particular das crianças, pois uma alimentação predominantemente vegetariana, está provado que é muito mais saudável.
    Seria muito importante que o nosso governo, em particular as câmaras e as juntas de freguesias incentivassem à criação de hortas urbanas, facilitando a obtenção de produtos produzidos pelas próprias pessoas e evitando aquilo estamos a ver junto as autoestradas que são cultivos envoltos em poluição dos carros.
    Outro problema são os alimentos transgénicos, pois sabe-se dos estudos existentes o quanto são nocivos, mas Portugal permite-os e para além disso muitas das vezes não estão identificados nos produtos alimentares que consumimos. Será possível começar a trabalhar para a sua eliminação das nossas dietas?
    Mais uma vez um grande bem Haja por este manual!

    Ana Pires a 09/04/2016 às 09:36
  6. Parabéns à DGS e a todos os seus colaboradores que participaram na elaboração deste fantástico Manual.
    É um sinal de abertura e actualização aos novos paradigmas alimentares que cada vez são mais frequentes na nossa sociedade.
    Numerosos autores e tradições milenares afirmam que o Ser Humano é por natureza vegetariano. Quer se acredite ou não nesta afirmação os estudos apontam, que à taxa de crescimento actual da população humana, só o Vegetarianismo poderá alimentar tal quantidade de gente, além de resolver os graves, progressivos e catastróficos problemas ecológicos, já actuais, que a produção massiva e industrializada de carne e de peixe acarretam ao nosso belo planeta, que é a nossa casa: a Terra.
    Além disso, não podemos esquecer, que os animais, que actualmente exploramos como recurso alimentar, de forma abusadora e cruel, têm tanto direito à Terra como nós Humanos… já cá estavam antes de aqui chegar-mos.
    Felicito pois, os autores deste belo Manual, que além de acessível, prático e didáctico, é um bom guia de orientação alimentar para as pessoas que estão a despertar para o Vegetarianismo.
    A Todos, muito Obrigado.
    Felicidades no vosso Caminho.
    Bernardino Guedes

    Bernardino Guedes a 24/04/2016 às 19:56
  7. Boa iniciativa excelente manual. Hoje em dias os pais veem-se confrontados com esta vontade dos filhos em serem vegetarianos mas fica a principal preocupação: ” o que vão comer na escola?” ´já está na hora das cantinas terem esta alternativa na ementa. Fica o pedido.

    Carla Ramalho a 27/04/2016 às 09:19
  8. Nem tudo à terra nem tudo ao mar… A alimentação com base vegetariana é saudável sim, mas deve ser intensificada mais com o passar dos anos, para os que acham que as crianças deviam ser tornadas vegetarianas de pequenas, consulte sobre imensos casos de criancas em pré adolescência com densidade ossea de pessoas com 80 anos. Mas é normal, agora veio a moda da intolerância à lactose, isto quando os Estados Unidos são os maiores produtores de proteinas e derivados de Soja, que conveniente muitos “estudos” apresentados.

    Esclarecido a 16/05/2016 às 19:39
  9. Excelente trabalho. Parabéns

    Manuela Monteiro a 08/02/2017 às 12:20

Comentar

Adicione o seu comentário:

Outros artigos com a tag: Orientações