10 conclusões sobre a alimentação dos portugueses para tweetar

Hoje apresentamos-lhe 10 factos e números sobre a alimentação dos portugueses com base no relatório anual do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS). Partilhe com os seus seguidores!

1. Em 2014, os hábitos alimentares inadequados foram o determinante que mais contribuiu para o total de anos de vida saudável perdidos pela população portuguesa (19%), seguidos da hipertensão arterial (17%) e índice de massa corporal elevado (13%).  

2. O consumo da carne e miudezas comestíveis diminuiu 1,9% em 2014. Compra-se mais frango e outras aves em detrimento da vaca e do porco. No mesmo ano, registou-se uma diminuição do consumo de leite. 

3. Os portugueses consomem, em média, 10,9 gramas de sal por dia quando o recomendado pela Organização Mundial da Saúde é apenas 5 gramas

4. O consumo elevado de sal não afeta apenas os adultos: mais de 70 % das crianças portuguesas, entre os 8 e 9 anos, e mais de 80% dos adolescentes, dos 13 aos 17 anos, já consomem sal acima das recomendações internacionais nestas idades. 

5. Os níveis de consumo de sal melhoraram no nosso país, de 2006 a 2012, mas Portugal continua a ser um dos países europeu com consumo de sal mais elevado40% da população portuguesa tem hipertensão

6. Alguma pastelaria consumida em Portugal tem quantidades acima do recomendado de ácidos gordos trans (valores superiores a 2% do total de gorduras), com os grupos das bolachas e biscoitos (3,42%) a apresentarem os valores mais elevados. O consumo deste tipo de gorduras pode aumentar significativamente o risco de doença cardiovascular.

7. Em média, um português consome no total 68g de açúcar por dia. A OMS recomenda apenas 50 gramas por dia.

8. São cada vez mais os adolescentes portugueses que dizem “nunca ou raramente” consumir fruta. De 5,7% em 2002 passaram para 9% em 2014. O mesmo se passa com os hortícolas. 

9. A alimentação de má qualidade afeta com maior intensidade crianças, idosos e os grupos socioeconómicos mais vulneráveis da população portuguesa. Aproximadamente, 1 em cada 14 famílias portuguesas avaliadas pode não consumir alimentos suficientes devido à falta de dinheiro. 

10. A prevalência da obesidade parece estabilizar depois de anos consecutivamente a subir em todos os escalões etários. Ainda assim, a proporção de crianças com excesso de peso em Portugal está acima da média europeia

Imagem retirada de unsplash. 

0 Comentários , Adicione o seu

Comentar

Adicione o seu comentário:

Outros artigos com a tag: alimentação