Chile restringe publicidade alimentar dirigida a crianças

No Chile, uma lei aprovada na segunda-feira (Ley de Etiquetado) vai impedir certos alimentos de serem acompanhados de brinquedos como o Kinder Surpresa® ou o Happy Meal da McDonald’s®.

“O fabricante de chocolate italiano, que lançou o seu famoso produto em 1972, já não pode ser comercializado nos Estados Unidos, devido a um regulamento de 1938 que proíbe associar a um alimento qualquer outra substância (neste caso, um brinquedo). Os outros alimentos considerados prejudiciais deverão ser adaptados, com 8.000 produtos a receber uma nova embalagem.”

“Estará prohibido hacer publicidad dirigida a menores de 14 años de los alimentos con altos índices en grasas, grasas saturadas, azúcares, sodio y otros ingredientes que la autoridad sanitaria considere nocivos. Tampoco se podrá aprovechar la credulidad de los menores para ofrecerles dichos alimentos gratis como promoción. También estará prohibido utilizar, en su venta, “ganchos” promocionales como regalos, concursos, juegos, adhesivos, juguetes, etc. La publicidad de la comida no saludable sólo podrá hacerse en horario nocturno en medios de comunicación masivos y además llevar un mensaje que promueva hábitos de vida saludables.”

Imagem retirada de Ramin Sabour.

2 Comentários , Adicione o seu

  1. Muito bom, essa lei deveria ser regulamentada em vários outros países, inclusive no Brasil, onde a comercialização aberta desse produto, induzindo as crianças a desejarem um alimento atraído através da curiosidade de achar um brinquedo. Parabéns ao Chile.

    Jorge Manoel Schmitz a 29/06/2016 às 04:38
  2. A publicidade em Portugal direcionada a crianças carece urgentemente de regras?!? É urgente legislar no sentido de tornar mais restritiva a publicidade a alimentos que a indústria diz ser para crianças, mas que, na verdade, nem sequer um adulto deveria consumir. Em Portugal, infelizmente, atua-se na “reparação” das doenças provocadas pela má alimentação em vez de se atuar na prevenção?!?

    Carlos Rosete a 05/07/2016 às 15:03

Comentar

Adicione o seu comentário: