Como medir o peso das crianças em trabalhos científicos?

Demos conta de um trabalho recente de avaliação do excesso de peso em crianças em Vila Nova de Gaia onde a Direção-Geral da Saúde participou e que pode encontrar aqui.

A prevalência de excesso de peso encontrada neste estudo com 8974 crianças do ensino pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico, foi de  37,4 %. Valor superior ao habitualmente encontrado a nível nacional e mesmo nesta região em outras trabalhos anteriores.

Será que a proporção de crianças com excesso de peso aumentou recentemente na região ou este método amostral (que recolhe informação de praticamente toda a população com esta idade na região) não deixa de fora as crianças com excesso de peso que habitualmente não participam nestas avaliações?

Isto porque tem sido reportado com frequência que as crianças que não são medidas nestes estudos  não têm  consentimento dos encarregados de educação para serem medidas (que é obrigatório recolher pelos investigadores antes de se medir), e são muitas vezes obesas fazendo com que a média registada pelo investigadores seja mais baixa do que é na realidade.

Uma importante questão metodológica para reflexão.

0 Comentários , Adicione o seu

Comentar

Adicione o seu comentário: