“Cabaz do Peixe” – Do Pescador para Si

O “Cabaz do peixe” tem como objetivo promover uma venda mais direta entre pescadores e consumidores. Pretende reduzir também as rejeições de espécies de baixo valor comercial na pesca artesanal de Sesimbra, através da venda das suas capturas sob a forma de Cabaz diretamente da lota aos consumidores.

O conceito é baseado no “Community-Supported Fisheries”, em que é feita a venda direta do pescador ao consumidor (sem intermediários), e aplica ao comércio de peixe fresco o conceito de cabaz de produtos hortofrutícolas utilizado em Portugal pelo Projeto Prove.

É um projeto desenvolvido pela Associação de Armadores de Pesca Artesanal do Centro Sul, com o apoio do Programa Operacional Pesca e tem como parceiros a Câmara Municipal de Sesimbra, Docapesca, Mútua dos Pescadores, Associação para o Desenvolvimento Rural da Península de Setúbal e Liga para a Proteção da Natureza.

O projeto é considerado inovador e diferenciador uma vez que promove a redução das rejeições, cumprindo a nova Política Comum de Pescas; aplica em Portugal o conceito de venda de peixe fresco em cabaz; promove uma cadeia de valor curta entre pescador e consumidor; promove o envolvimento de uma Associação de Pesca Artesanal (não classificada como Organização de Produtores) na comercialização das capturas dos seus sócios e promove a valorização da pesca artesanal sem aumentar o esforço da pesca, sendo atualmente detentor de uma Menção Honrosa na 4ª Edição do Prémio Nacional Agricultura 2015 e candidato ao 2º Concurso do PROMAR.

O “Cabaz do Peixe” começou as suas entregas em Junho de 2015, e atualmente realiza um total de cerca de 93 entregas semanais entre as localidades de Sampaio, Quinta do Conde, Palmela, e mais recentemente, na Arrentela, Concelho do Seixal.

Um projeto inovador na promoção da pesca artesanal sustentável e na promoção do consumo de pescado.

1 Comentário , Adicione o seu

  1. Como é possivel, não divulgar a Norte, esta excelente iniciativa? As “compradoras” compram o peixe, oriundo da pesca artesanal, a preços indecorosos, atravessam a rua e multiplicam o kg, por …5

    Avelino Freitas a 29/08/2016 às 22:27

Comentar

Adicione o seu comentário:

Outros artigos com a tag: sustentabilidade