Estou a ler:

Os mercados e feiras locais de alimentos e a nossa qualidade de vida

Notícias

Os mercados e feiras locais de alimentos e a nossa qualidade de vida

Pelo país são muitos os locais em que podemos encontrar mercados e feiras dedicados ao comércio de alimentos. Nestes locais encontram-se produtos frescos como frutas, hortícolas, carne e peixe de qualidade e que oferecem em muitos casos alimentos produzidos localmente. Conheça as 11 razões para fazer compras nos mercados e feiras locais.

flea-market-1324565-639×425

Pelo país são muitos os locais em que podemos encontrar mercados e feiras dedicados ao comércio de alimentos. Nestes locais encontram-se produtos frescos como frutas, hortícolas, carne e peixe de qualidade e que oferecem em muitos casos alimentos produzidos localmente.

Apesar do crescente número de grandes superfícies comerciais, os mercados ainda prevalecem, sobretudo em vários bairros residenciais. Assim, se quiser trazer um pouco da tradição de volta, apresentamos-lhe algumas razões para fazer compras nos mercados e feiras locais.

 11 Razões para fazer compras nos mercados e feiras locais – Uma questão de qualidade de vida

1º. Permitem a oferta de produtos hortícolas e frutas de produção local, que necessitam de menos transporte, menos frio para se conservarem e de menos embalagem, logo são mais amigos do ambiente;

2º. Ajudam a promover a agricultura e a economia local, gerando e mantendo emprego de pessoas da região. Conheça o serviço de instalação de mercados locais de produtores já disponível.

3º. Disponibilizam alimentos da época, mais frescos e menos processados, que mantêm uma melhor qualidade nutricional e recorrem menos a conservantes químicos ou físicos;

4º. Permitem manter pequenas produções agrícolas locais, que nunca teriam tamanho e produção suficiente para serem comercializadas em grandes cadeias de hipermercados, promovendo a biodiversidade. Ou seja, ajudam a manter variedades locais de frutos, hortícolas ou até carnes que iriam desaparecer para sempre se não existirem compradores.

5º. É uma forma divertida e pedagógica de envolver as crianças na descoberta de diversas variedades de fruta e hortícolas e a experimentarem novos sabores e texturas; Leve as crianças a estes locais nas épocas próprias, das romãs, das castanhas, dos marmelos…

6º. Ao suportarem a agricultura local fortalecem também a comunidade envolvente, permitindo em muitos casos o contacto direto com os próprios produtores, potenciando não só o conhecimento sobre o tipo de produtos que existem localmente como também a ligação a vizinhos e outros residentes;

7º. Podem ajudar a poupar visto que a fruta e hortícolas presentes em mercados e feiras locais, são em muitos casos mais económicos.

8º. Permitem a personalização dos pedidos no ato da compra, com recomendações dos vendedores sobre qual a melhor maneira de preparar os produtos. No caso do peixe ou da carne ter uma pessoa de confiança a ajudar é fundamental;

9º. Estão bem localizados em zonas residenciais, maioritariamente de fácil acesso, permitindo que pessoas mais idosas, com dificuldade de locomoção ou sem carro possam ter acesso a produtos frescos e da época.

10º. Ajudam a reduzir o desperdício. Nos mercados locais compra-se diariamente ou apenas quando se necessita. Assim reduz-se o risco de manter grandes quantidades de alimentos no frigorífico, que acabam por se estragar ou perder valor nutricional.

11º. Por fim, ajudam a fazer exercício e a preservar a nossa vida social. Aproveite a ida ao mercado. Antes de lá chegar faça uma volta a pé pelo seu bairro, mexa-se, fale com as pessoas. Quando regressar das compras distribua o peso (pouco) por ambos os braços. No final do ano, serão muitos quilómetros a mais de exercício físico e uma melhor qualidade de vida.

Em breve, voltaremos ao assunto e iremos indicar onde se situam os diferentes mercados a nível nacional.

Imagem retirada de Enrico Corno 
Tópicos
Notícias

Acompanhe a discussão sobre: Os mercados e feiras locais de alimentos e a nossa qualidade de vida

Um comentário a “Os mercados e feiras locais de alimentos e a nossa qualidade de vida”

  1. João Filipe Barata Coelho diz:

    Sou completamente a favor deste tipo de mercado que para além de tudo o que foi mencionado, valoriza o nosso bairro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

  • 23 maio, 2022

    Abertura Concurso Público para o Estudo de avaliação do Regime Escolar em Portugal

    Encontra-se aberto um Concurso Público para a aquisição de serviços para a realização do “Estudo de avaliação do Regime Escolar em Portugal (2017/2018 a 2022/2023)” para a Direção-Geral da Saúde, de acordo com as especificidades exigidas no artigo 13º da Portaria nº 113/2018, e dos artigos 8º do Regulamento (UE) 2017/39, da Comissão, de 3 de […]

    Ler mais
  • 3 maio, 2022

    OMS publicou hoje o WHO European Regional Obesity Report 2022

    A OMS publicou hoje um importante relatório (WHO European Regional Obesity Report 2022) sobre o estado da obesidade na região Europeia. Neste relatório publicado hoje pelo Escritório Regional da OMS Europa para a Prevenção e Controlo das Doenças Crónicas, a OMS destaca que a prevenção e controlo da obesidade deve centrar-se numa estratégia de prevenção […]

    Ler mais
  • 19 abril, 2022

    EFSA’s scientific advice related to nutrient profiling

    A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) publicou hoje a Opinião Científica sobre perfis nutricionais que pretende apoiar a tomada de decisão da Comissão Europeia sobre o modelo simplificado de rotulagem nutricional a adotar na União Europeia e sobre as condições para restringir a presença de alegações nutricionais e de saúde nos alimentos.

    Ler mais