O chocolate e a saúde

O cacau e seus produtos derivados como o chocolate, têm recebido muita atenção devido ao conteúdo em polifenóis, em particular as catequinas e epicatequinas, substâncias com capacidades antioxidantes e protetoras das células. Por outro lado, tem sido sugerido que o consumo regular de chocolate, em particular o chocolate preto, poderia ter um efeito positivo na saúde.

As associações positivas do cacau na saúde assentam no mecanismo de inibição da ação dos radicais livres pelos polifenóis e em particular pelas catequinas, podendo por isso ter algum papel relevante e protetor do aparelho circulatório e no desenvolvimento de cancro. O cacau possui também na sua composição outras substâncias como metilxantinas (por ex.: a cafeína, a teobromina e a teofilina), peptídios e alguns nutrientes como o magnésio (em particular no chocolate preto) e o cobre, que podem atuar de forma sinérgica sobre a inflamação e proteção celular. Assim, o efeito positivo do cacau na saúde pode dever-se à combinação de diversas substâncias presentes no cacau. Contudo é de realçar que estes trabalhos científicos a favor do papel positivo do chocolate na saúde têm sido maioritariamente observacionais e não ensaios clínicos, onde geralmente se obtêm as provas mais robustas sobre a relação alimentos-saúde.

A presença destas substâncias protetoras no chocolate à venda depende também, e muito, de diversos fatores como a percentagem de cacau, sua origem, a sua fermentação e o processo de fabrico. De um modo geral existem maiores quantidades de polifenóis no cacau em pó (à venda em qualquer supermercado), seguido do chocolate preto e depois no chocolate com leite. Pelo contrário, o chocolate branco tem na sua composição, maioritariamente, manteiga de cacau e açúcar sem presença relevante de cacau em pó e não apresenta valores significativos de polifenóis.

Devemos ter em atenção que existem polifenóis em quantidades apreciáveis em outros alimentos para além do chocolate como em chás (em particular no chá verde), em hortícolas e em frutas com diferentes absorções pelo organismo. Por exemplo, nos tomates, nos legumes de folha verde, nas laranjas, nos alperces (bom fornecedor) e nas cebolas (em quantidades apreciáveis). Existem quantidades interessantes na maioria dos frutos e hortícolas, sobretudo se consumidos com casca.

O chocolate não possui na sua composição apenas cacau tendo também por isso quantidades elevadas de gordura e de açúcar tornando-se um importante fornecedor de calorias quando consumido regularmente e em grandes quantidades. De notar que entre o chocolate preto e chocolate de leite a quantidade fornecida de gordura e gordura saturada (a mais perigosa para a saúde) é semelhante, existindo um teor superior de açúcares no chocolate de leite.

Composição média de dois chocolates – preto versus chocolate de leite

chocolate preto

chocolate de leite

Informação retirada de NutritionData, 2015

Assim, se procura um alimento protetor da saúde, a incluir diariamente na sua alimentação pela sua riqueza em antioxidantes e com baixo valor energético, a sua escolha deve recair sobre outros alimentos como por exemplo os hortícolas e fruta.

Se gostar do sabor do chocolate, mas não quiser consumir excesso de gordura e açúcar, o cacau em pó, por exemplo para adicionar ao leite, pode ser uma opção nutricionalmente interessante e económica. Se é apreciador de chocolate, não olhe para trás, escolha o que lhe dá mais prazer e que considera de melhor sabor (preto ou com leite) mas com muita moderação.

Imagem retirada de Zsuzsa N.K.

0 Comentários , Adicione o seu

Comentar

Adicione o seu comentário: