Cereja, uma fruta desta época a não esquecer

Cerejas, uma simples fruta ou um concentrado de saúde?

Pensa-se que a cereja seja indígena das regiões do Norte do Irão e de outros países a Sul das Montanhas do Cáucaso tendo-se adaptado bem a certas regiões do país como Certame de Resende, Cova da Beira, Alfândega da Fé e São Julião de Portalegre. Os pomares de cerejeiras situam-se, essencialmente, a norte do rio Tejo, com exceção da região de Portalegre (Serra de S. Mamede). A sua apanha realiza-se entre a 2ª quinzena de maio, junho e julho, ou seja, estamos em plena época da cereja.

A cereja tem um grande valor nutricional pela riqueza de fitoquímicos, substâncias presentes em pequenas quantidades nesta fruta, mas com importantes propriedades de proteção celular e anti-inflamatórias.

Entre as substâncias presentes na cereja, destacam-se os ácidos fenólicos (ácidos hidroxicinâmicos) e flavonóides (antocianinas). Os compostos fenólicos não são sintetizados pelo organismo e por isso têm que ser obtidos através da ingestão de certos alimentos, como as cerejas e outros frutos. Estas substâncias têm um grande potencial antioxidante e têm sido estudadas pelo seu efeito protetor na prevenção de certos tipos de cancro e pelas suas propriedades anti-inflamatórias na prevenção de doença cardiovascular. Provavelmente, quando estas substâncias estão juntas no mesmo alimento, o efeito ainda se multiplica fazendo da cereja um quase “super-alimento”.

Uma porção de cerejas (cerca de 10 pares – 110g) fornece 231 mg de potássio, correspondendo a 11,6% da dose diária recomendada, tornando a cereja uma boa fonte. Apresenta, também, uma quantidade interessante de carotenoides (26,4 ug correspondendo a 3% da DDR de vitamina A), vitamina C (6,6mg correspondendo a 8% da DDR) e fibra, nomeadamente de pectinas (1,76mg correspondendo a 7% da DDR).

E, “como cereja no topo do bolo”, é uma fruta com um relativo baixo valor energético, pelo que cerca de 10 pares têm apenas 66 kcal.

Estas características nutricionais dependem da variedade da cereja, do seu grau de maturação, entre outros fatores, pelo que deve escolher bem a cereja.

Como escolher a melhor cereja:

  • A cereja é uma fruta que deve ser apanhada mais madura, caso contrário, não fica mais doce com o passar do tempo ao invés do que acontece com as outras frutas.
  • As maiores e mais carnudas são as que têm maior qualidade, pois uma cereja madura é mais pesada face à verde.
  • Na hora de comprar, opte pelas que têm pele limpa, firme, brilhante, sem golpes e manchas. O pedúnculo deve ser verde, fresco e bem preso ao fruto.
  • Evite cerejas moles, pegajosas, engelhadas, rachadas ou podres.

Como Conservar:

  • Pode guardá-las no frigorífico, na zona mais fria, sem lavar nem tapar e podem durar até 2 semanas.
  • Caso queira, pode optar por congelar. Nesse caso, lave-as bem por baixo de água corrente a fim de remover os vestígios de produtos químicos, seque-as e congele-as em sacos de plástico. Podem durar até 8 meses.

Como consumir:

  • Pode fazer bolos, tartes ou compotas, mas o ideal é saborear esta fruta ao natural e usufruir de todos os benefícios para a saúde que esta tem para lhe dar!
Imagem retirada de ninnjas

2 Comentários , Adicione o seu

  1. Desde criança que adoro cerejas. Principalmente estar em cima de uma cerejeira e comer

    Rosa Marques a 22/06/2019 às 20:30
  2. Cereja, riqueza de Portugal! Das minhas frutas favoritas, nesta época faço questão de comer, com prazer, quantidades generosas. Contudo, tenho sabido com tristeza, que tem havido alguma produção em certas regiões do país, que está a ir para o lixo dado o ano de abundância e a dificuldade no escoamento. Nestes casos, seria justo pensar-se em entidades como o Banco Alimentar, que as poderia fazer chegar a mais pessoas. De qualquer forma, para concluir, comer cerejas é um dos prazeres desta época do ano!

    Ana Martins a 23/06/2019 às 08:26

Comentar

Adicione o seu comentário:

Outros artigos com a tag: alimentação saudável