NUTR-HIA | Improving Nutrition Labelling in Portugal Health Impact Assessment

Estudo recomenda sistema de rotulagem único e ajustado aos produtos nacionais

A evidência científica mostra que os consumidores têm dificuldade em interpretar a informação nutricional obrigatória que está presente nos rótulos dos produtos alimentares. De acordo com um estudo realizado na população portuguesa, foram observadas dificuldades na interpretação desta informação em cerca de 40% dos inquiridos.

Para colmatar este problema diversos pais têm vindo a adotar diferentes modelos de rotulagem nutricional simplificados, tendo em consideração a evidência científica disponível para cada contexto nacional. A utilização de modelos de rotulagem nutricional simplificativos é considerada como uma das melhores opções para promover escolhas alimentares saudáveis e consequentemente para a prevenção e controlo das doenças crónicas na população.

A Direção-Geral da Saúde recomenda ao Governo Português que adote um sistema de rotulagem nutricional que ajude os cidadãos a fazer escolhas alimentares mais informadas e saudáveis.

O sistema de rotulagem deve ser único e consensual para os cidadãos, peritos e stakeholders, mas também adaptável aos produtos comercializados em Portugal. A escolha de produtos saudáveis aumenta 3 a 5 vezes com a adoção destes sistemas de rotulagem.

As conclusões fazem parte de um exercício HIA (Health Impact Assessment) desenvolvido pelo Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da Direção-Geral da Saúde, em conjunto com a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e que utiliza a metodologia proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Os resultados deste estudo vão ser hoje apresentados.

O objetivo do exercício foi avaliar diferentes sistemas de rotulagem nutricional interpretativos (FOP-NL), nomeadamente quanto à sua capacidade de contribuírem para escolhas alimentares mais informadas e saudáveis, e contribuir com evidência científica que suporte a tomada de decisão política.

A avaliação dos diferentes modelos de FOP-NL mostram que a probabilidade de os participantes escolherem um produto alimentar mais saudável é 3 a 5 vezes superior quando os diferentes modelos de rotulagem nutricional estão presentes, por oposição à ausência de sistema. Todos os que foram avaliados contribuem para escolhas alimentares mais saudáveis.

Apesar do sistema do semáforo nutricional, que é já utilizado parcialmente em Portugal, ter sido aquele onde se verificou uma maior percentagem de participantes a selecionar a opção correta, não se verificaram diferenças com significado estatístico entre os diferentes sistemas de rotulagem nutricional simplificada.

Recomenda-se ainda que se teste a adequação dos modelos aos produtos alimentares portugueses.

Por último, a implementação deve prever um programa de educação alimentar à população, bem como a avaliação da efetividade do sistema FOP-NL adotado nas decisões de compra e no padrão alimentar e de saúde da população, podendo ser realizado um novo exercício deste tipo para avaliar o impacto dessa estratégia de política alimentar após cinco anos da implementação.

Pode consultar o relatório aqui.

 

 

 

0 Comentários , Adicione o seu

Comentar

Adicione o seu comentário:

Outros artigos com a tag: Estudo