Medidor de sal portátil: como funciona?

O medidor de sal na comida, desenvolvido por investigadores da Universidade do Porto, com o apoio da Direção-Geral da Saúde, esteve em destaque no Primeiro Jornal, na SIC.

À estação, Carla Gonçalves, investigadora da Faculdade de Nutrição da Universidade do Porto, explicou o processo que permite, através de um aparelho portátil, medir as quantidades de sal nos alimentos: “pegar em cerca de 10 gramas da amostra, diluir, completar até 100 ml com água desionizada [água desmineralizada], mergulhar o elétrodo e, ao fim de três minutos, temos o resultado”.

Este aparelho, que é ainda um protótipo, representa um avanço significativo, levando para a casa das pessoas o que antes só podia ser obtido em laboratório. O objetivo? “Este equipamento permite que no próprio dia se consiga intervir de forma a que a refeição, ao ser servida, não tenha um teor de sal excessivo”, explica a investigadora.

Joaquim Mendes, da Faculdade de Engenharia da mesma universidade, avança ainda que o medidor não se ficará por aqui: “a ideia é [com o novo parceiro de negócio] desenvolvermos uma interface para o telemóvel de modo a ser mais económico e mais fácil de utilizar”. Os dados serão automaticamente armazenados, podendo ser consultados pelos utilizadores a qualquer altura.

O medidor poderá, assim, alertar para o consumo excessivo de sal, levando a uma alteração dos comportamentos responsáveis pelo aumento da hipertensão ou doenças cardiovasculares. Portugal tem um consumo médio de 11 gramas diárias de sal por pessoa. Segundo a OMS, o recomendado é 5 gramas diárias.

 

1 Comentário , Adicione o seu

Comentar

Adicione o seu comentário: